segunda-feira, 29 de Janeiro de 2007

quarta-feira, 24 de Janeiro de 2007

Monumentos

Como monumentos e tópicos de interesse turístico destacam-se, na Lisboa medieval:
Castelo de São Jorge, na colina mais alta do centro da cidade.
Bairro de Alfama, de estreitas vielas e que sobreviveu ao terramoto de 1755.
Sé de Lisboa.
Convento do Carmo.
Da cidade da época dos Descobrimentos podemos ver hoje na zona de Belém, duas construções classificadas pela UNESCO como Património da Humanidade:

Mosteiro dos Jerónimos, mandado construir pelo Rei D. Manuel I.
Torre de Belém, construção militar de vigia na barra do Tejo.

Do início do século XVIII o monumento mais significativo é o Aqueduto das Águas Livres. Após o terramoto de 1755, no plano em grelha aprovado pelo Marquês de Pombal (Baixa Pombalina) para a zona central da cidade, construíram-se as praças do Comércio (o Terreiro do Paço), junto ao Tejo, e do Rossio. Nas proximidades e com interesse histórico ou artístico são ainda a Praça dos Restauradores e o Elevador de Santa Justa, projectado em finais do século XIX por Mesnier du Ponsard, suposta mas erradamente um discípulo de Eiffel.
De referir ainda os palácios reais das Necessidades e da Ajuda, na parte Oeste da cidade.



Em finais do século XIX os planos urbanísticos permitiram estender a cidade além da Baixa para o vale da actual Avenida da Liberdade. Em 1934 é construída a Praça Marquês de Pombal, remate superior da avenida. No século XX sobressaem os extensos planos urbanísticos das Avenidas Novas, da envolvente da Universidade de Lisboa (Cidade Universitária), e da zona dos Olivais, e os mais recentes do Parque das Nações e da Alta de Lisboa, ainda em construção. Os edifícios do fim do século XX mais notáveis em termos de arquitectura, incluem, entre outros, as Torres das Amoreiras (1985, do arquitecto Tomás Taveira (autor também do polémico bairro do Condado ex-zona J), o Centro Cultural de Belém (inaugurado em 1991), a Estação do Oriente (de Santiago Calatrava), a Torre Vasco da Gama e o Oceanário de Lisboa (de Peter Chermayeff), todos de 1998.
Fonte:Wikipédia

domingo, 21 de Janeiro de 2007

História de Lisboa



Lisboa é uma das mais antigas cidades da Europa, tendo sido fundada há mais de três milénios. É juntamente com Setúbal, Alcácer do Sal e algumas cidades do Algarve a mais antiga de Portugal e também a segunda mais velha capital da União Europeia, após Atenas, mais antiga por quatro séculos que Roma.
A sua história circula à volta da sua posição estratégica na foz do maior rio da
Península Ibérica, o Tejo; do seu porto natural ser o melhor para o reabastecimento dos barcos que fazem o comércio entre o Mar do Norte e o Mediterrâneo; além da sua proximidade no extremo Sul e Ocidente da Europa, com os novos continentes da África Subsahariana e da América.

Fonte:Wikipédia

sexta-feira, 19 de Janeiro de 2007

Cheira Bem,Cheira a Lisboa

quinta-feira, 18 de Janeiro de 2007

Turismo em Lisboa


A Associação de Turismo de Lisboa, tem por objectivo o desenvolvimento turístico sustentado da sua área de intervenção, através da promoção da região como destino turístico e da promoção da região como local de realização de congressos, feiras e outras organizações afins e como destino de viagens de incentivos, entre outros.

Poema...

Lisboa

Digo:

"Lisboa"

Quando atravesso - vinda do sul - o rio

E a cidade a que chego abre-se como se do meu nome nascesse

Abre-se e ergue-se em sua extensão nocturna

Em seu longo luzir de azul e rio

Em seu corpo amontoado de colinas -

Vejo-a melhor porque a digo

Tudo se mostra melhor porque digo

Tudo mostra melhor o seu estar e a sua carência

Porque digo

Lisboa com seu nome de ser e de não-ser

Com seus meandros de espanto insónia e lata

E seu secreto rebrilhar de coisa de teatro

Seu conivente sorrir de intriga e máscara

Enquanto o largo mar a Ocidente se dilata

Lisboa oscilando como uma grande barca

Lisboa cruelmente construída ao longo da sua própria ausência

Digo o nome da cidade-

Digo para ver

Sophia de Mello Breyner Andresen

Lisboa, Menina e Moça...